terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Sobriedade

 

 

E você começa a não se assustar com o silêncio, tudo fica mais claro, aquele desespero de não se ter mais companhias para as noites derramadas em remédios para dormir cede lugar a uma solidão clara e almejada. Ninguém sabe ao certo quando se começa a enxergar tudo de forma passageira mas a dor dá início a tudo, a dor alarga as fronteiras, as lágrimas limpam os olhos cansados e o sofrimento liberta. Talvez beber demais, fumar demais, fugir demais nortei as preliminares de uma decisão ainda por tomar, mas no decorrer tudo se mostra como bobagem, porque de alguma forma a sobriedade está na alma e a alma nunca dorme. Ainda está tudo por resolver mas não se quer voltar atrás, há coisas que se resolvem por si só e por elas nada podemos fazer, é o valor da espera, a confiança no tempo e em sua completa capacidade de apagar e reativar tudo ao seu modo, o que é pra ser será e o que deixou de ser foi uma fração de segundo de uma vida que ainda espera ser vivida. É um cuidado consciente com o sentido que damos a algo que tem prazo de validade, é discernir que há propósitos e planos que findam em sonhos irrealizáveis. Mas no fundo entre lamas e esterco agente se nega a crer que a vida é dor, a vida pode ser leve, diz nossa alma, para se ter paz antes precisa ter guerra, pra se ter amor antes precisa entrega, pra se ter sol antes precisa ter escuridão, e é nessa escuridão que temos a certeza que o sol um dia virá.

 

 

Os velhos olhos vermelhos voltaram
Dessa vez
Com o mundo nas costas
E a cidade nos pés
Pra que sofrer se nada é pra sempre?
Pra que correr, se nunca me vejo de frente?

Olhos Vermelhos (Capital Inicial)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Apenas


Foi apenas um dia ruim, e dias assim querido você vai ter aos montes, chore tudo que tiver que chorar mas não se perca da certeza de que foi apenas um dia ruim, amanhã mesmo que nada tiver se resolvido terás a convicção que estarás mais perto do fim, pois nada é pra sempre baby, a justiça divina está aí: em não prolongar sofrimentos nem felicidades, ambos precisam de prazo de validade para podermos tirar algo de digno no final, e essa dor que hoje escurece teus dias num amanhã próximo será faísca, poeira, sobra....
Foi apenas um dia ruim e pode durar bem mais se continuares nessa desenfreada mania de trazer todas as dores à tona quando algo sai do teu controle, tudo requer tempo, este tempo que agora te machuca será o mesmo que te trará risos, canções e poemas, é só esperar esse dia passar, pois sim ele passa...
Foi apenas uma pessoa ruim, não foi a primeira nem será a última a te deixar assim, mas foi apenas uma, os sorrisos que conquistaste outrora na sinceridade dos bons ainda são teus, essas lágrimas e esse punhal cravado nas tuas costas foi fruto de apenas uma pessoa, uma pessoa que não merece ser motivo dessa tua solidão irremediável, uma pessoa que daqui a algum tempo será apenas fruto de um pesadelo de uma única noite, acredite quem você amou não existe, quando agente passa a pensar assim, agente acorda, desperta, reluz porque descobrimos que foi apenas uma pessoa ruim e essas pessoas sempre virão e irão embora tentemos nos esconder a todo custo delas.
Foi apenas uma pessoa ruim e há tanto o que ver, há tanto o que sentir e o tempo é curto, essa única pessoa ruim não pode te roubar inúmeros dias bons, essa única pessoa ruim não pode te fazer esquecer das inúmeras boas, essa única pessoa ruim não pode te levar o turbilhão de doces e leves emoções boas que ainda estão por vir.
Foi apenas um dia ruim que assim como os bons vão embora...foi apenas uma pessoa ruim que assim como as boas um dia vão embora...mas se pensarmos bem podemos ocupar o vazio dos nosso dias com lembranças de dias bons, se insistirmos bem podemos preencher a solidão da nossa vida com as lembranças das pessoas boas e assim perceberemos que o que realmente importa o tempo não leva embora.


Que eu seja amada, mesmo quando me entorpeço
Que eu esteja numa boa, mesmo sendo oprimida
Que eu seja amada, mesmo quando estiver enfurecida
Que eu esteja numa boa, mesmo sendo pegajosa
Que eu esteja numa boa, mesmo se perder a sanidade
Que eu esteja numa boa, com ou sem você

That I Would Be Good (Alania Morissette)


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Límpido


Será que tudo que se tem a fazer é esperar a dor passar, é chorar, sofrer, correr para o colo do melhor amigo e soluçar, expulsar tudo com as lágrimas, com o corpo encolhido, com um grito. Dor na alma não é dor de cabeça, que incomoda mas com um bom analgésico vai embora, dor na alma não é como cólica, dor de dente, dor de coluna ambas tem solução com remédios, fisioterapias, tratamentos e mesmo que os tratamentos sejam longos sabemos no fundo que um dia essas dores vão findar. Dor na alma é de imediato incurável, não há remédio, tratamento, terapia... é tudo meras alternativas, solução mesmo não há. Ás vezes é a espera de um perdão que não vem, a espera de um direito de resposta que não aconteceu, à espera de um abraço que não recebeu, à espera de uma paz que se perdeu. Quando somos crianças assistimos os desenhos animados e vemos que sinal de dor é um coração partido, quebrado ao meio e quando crescemos e a vida se mostra mais complexa do que era com problemas que se resumiam a notas baixas, vemos que era verdade, o coração se quebra, se parte ao meio, é a dor do fim, a dor das partidas sem aviso, das mágoas sem explicação, das humilhações sem motivos. Há dores de um dia, de um mês, de uma estação e há dores de uma vida, dores que não passam, dores vindas de uma perca irreparável, de uma mágoa incurável, de um muro intransponível. Mas aonde está a beleza da vida quando essas dores não nos permitem olhar adiante? A beleza da vida está no poder de superação que cada um carrega dentro de si, a beleza da vida está na nossa insistência, na perseverança  em caminhar adiante quando há um passado que tem forças o suficiente para nos deter. A vida se vista de dentro pra fora pode ser mais que dores e sofreguidão...a vida se vista com esperança pode ser suada mas também cristalina como uma lágrima.


Quando não houver desejo
Quando não restar nem mesmo dor
Ainda há de haver desejo
Em cada um de nós
Aonde Deus colocou...
Enquanto houver sol
Enquanto houver sol
Ainda haverá
Enquanto houver sol
Enquanto houver sol...
Enquanto houver sol (Titãs)

sábado, 2 de julho de 2011

Insistência Insana


 

Ás vezes penso no modo como nós seres humanos temos formas tão infantis de se encarar, de se ver das maneiras frágeis e insanas que somos, ás vezes penso e trepenso no jeito como resolvemos nossas angústias e medos... No fundo queremos sempre atenção, se eu cortar os pulsos minha mãe vai reparar que não como bem há semanas? se eu dormir o dia todo meu pai vai perceber o quanto  preciso de um colo? Se eu faltar o trabalho, fazer terapia, greve de fome ele vai se apaixonar por mim novamente?Não sei, não dá pra saber, a única coisa que entendo e sinto dentro do que chamo de ‘meu mundinho interior’ que aliás está todo lamaçado,com escórias e cicatrizes por todos os lados é que quando nossa alma ta doente pouco importa se alguém vai ligar ou não, agente segue por um caminho em que a solidão já não dói tanto pra dizer a verdade nem a dor dói tanto porque ela vira um terceiro braço e agente se acostuma. Já não há ligações para esperar, nem pedidos de perdões para aliviar, é a sequidão do não-querer sentir mais nada. Já não há máscaras a serem colocadas, não há motivos para rir e mais uma vez reinventar um personagem para se esquecer do que na verdade se é, se alguém nos amar de verdade, nos amará da forma mais amarga, amará nossa obscuridade, nossa solidão irremediável, nosso afastamento voluntário, nossa alma encardida. Agente ouve que ioga, psicanálise, um novo amor, um porre, uma crise de choro, uma viagem, uma conversa franca com o criador e com o melhor amigo alivia, mas pra quê aliviar, deixa sangrar, deixa o suor do cansaço de ter errado mais uma vez, de ter amado mais uma vez quem não merecia, de ter esperado mais uma vez retribuição do muito que se deu, descer pela testa e parar no coração surrado, manchado, dolorido... Talvez nessa escuridão da ausência de fé e esperança seja mais fácil vislumbrar a luz quando ela chegar, ou talvez não, talvez esse caminho que trilho todos os dias me leve à uma aversão a luz inconsciente. Não há medo, não há promessas, não há fé, não há amor, apenas insistência, a insistência insana em se viver quando não se espera por mais nada, quando tudo caminha pra uma destruição involuntária de tudo que um dia se foi.


Quem me dera ao menos uma vez
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes.

[...]Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui.

Índios (Legião Urbana)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

É amor!


No início agente se encanta por um sorriso torto mas fofo, um jeito de olhar que esconde uma malícia coberta de inocência, uma maneira de andar atrapalhada e por vezes charmosa... no primeiro contato agente se envolve com as maneiras de falar, com o cuidado em não nos deixar sozinha no meio de uma festa, com a forma preocupada de nos olhar quando dizemos que toda aquela gente está nos sufocando, com o modo carinhoso de ouvir nossas estórias sem nenhuma interrupção... Nosso primeiro pensamento quando chegamos em casa é o quanto ele é bonito e suas mãos pareciam firmes e frias mesmo num ambiente deveras quente, o quanto ele sabia o que dizer mesmo quando agente não falava coisa com coisa, o quanto ele era doce e selvagem ao mesmo tempo...
Mas nada disso nos revela se é amor, o amor se revela quando ele não liga e você passa a noite esperando em vão mas ainda assim ele continua pulsando em você, o amor se revela quando ele se mostra rude, quando o trabalho toma lugar dos passeios de domingo, quando ele já não pergunta sobre você com o mesmo entusiasmo mas ainda assim ele continua encantador, o amor se revela quando ele já não é tão bonito quanto antes, nem tão corajoso, nem tão meigo e ainda assim tudo que ele faz lhe encanta, o amor se revela quando ele já não está tão bem nos negócios, quando ele já não se faz presente e quando esquece o aniversário de namoro mas mesmo assim o modo como você o vê não muda, o amor se revela quando no final do expediente de trabalho no dia em que aquela promoção chega o happy hour não faz mais tanto sentido tudo que você quer é estar nos braços dele, o amor se revela quando tudo na sua vida se encaminha, você está no emprego dos sonhos, seu cabelo não está precisando de nenhum retoque especial, você e sua mãe finalmente andam se entendendo e você está querendo explodir de alegria mas tem que se conter porque ele está passando por problemas no trabalho e brigou com o pai.
O amor se revela quando a crise chega, quando a dor não permite mais passeios, nem viagens, quando o dinheiro se torna escasso e quando a morte leva as esperanças pra debaixo do tapete mas ainda assim você não se ver com ninguém mais além dele. O amor se revela quando agente não encontra justificativas plausíveis para ele existir, ele simplesmente existe!

Eu te amo e vou gritar
Prá todo mundo ouvir
Ter você é meu
Desejo de viver
Sou menino e teu amor
É que me faz crescer
E me entrego, corpo e alma
Pra você...
Volta pra mim (Roupa Nova)

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Amores Impossíveis

 

Você ama alguém inteiro? Você deseja alguém possível? Então, parabéns você faz parte de uma minoria, a maioria deseja pessoas impossíveis, sei que essa palavra é forte e soa até pessimista mas é verdade. Amar alguém possível não é amar alguém solteiro, carente, amigo, que goste das mesmas coisas que você ou que já tiveram algo no passado que ficou em aberto, amar alguém possível é amar alguém que esteja com o coração aberto mesmo se essa pessoa esteja comprometida, se estivermos sensíveis saberemos que alguma coisa nela está dando sinal de que a tecla play está ligada.
 Mas a pior dor do amor está reservada a quem ama os impossíveis, mesmo que você ame alguém que nunca vai sentir nem metade por você quando ela é possível tudo fica em aberto, e a esperança faz agente se arriscar mais, e aí tudo é possível... mas e quando se ama alguém que é feliz? E quando se ama alguém que tem um amor que lhe completa? Que já não lhe falta mais nada? Que você não pode nem dizer que ela não o merece porque sim! Ela o merece! Eles nasceram um para o outro, são felizes e se amam!
  Ele casou, ele vai ser pai, ele viajou pra fazer uma segunda lua de mel, o filho deles é lindo e tem o sorriso dela, você vê suas fotos nos perfis da Internet e percebe que não lhe falta nada, e você chora, sente vergonha de si mesma por desejar o fim de um amor tão bonito...
   É um amor coberto de vergonha, não se pode declarar, é segredo de túmulo...nesse caso o amor é pecado... o amor é feio pra não dizer errado, a sociedade condena e você nem ousa dividir isso com alguém, é um assunto delicado demais.
  O que resta a quem ama alguém assim? Apenas desistir, a luta é em vão, você nunca fará parte do casal principal da história no mínimo será o antagonista se assim desejar, e tem dor maior que essa? Que mesmo vocês sendo melhores amigos, confidentes, ouvintes das mesmas músicas e com um monte de amigos em comum é pra ela que ele vive por inteiro, é pra ela que ele dedica os melhores dias e noites, é com ela que ele vai embora quando a pista de dança esvazia. A única alternativa é se esconder, é se afastar e o mais difícil se conformar, numa sociedade repleta de contos de fadas irrealizáveis, de comédias românticas cheias de histórias impossíveis e com uma porcentagem de acontecerem de 0,00001%, o conformismo é quase impossível... o que agente quer é lutar, é mostrar a ele que se pode ser mais feliz, que você é bem melhor e mais linda que ela... mas isso é um verdade unilateral, só sua!É duro admitir mas  pode ser mera ilusão da nossa cabeça romancista, idealista, ‘sonhista’, você pode ser mais inteligente que ela, mas ela domina futebol e ele adora conversar sobre isso, você pode ser mais bonita que ela mas ela tem um jeito torto de sorrir que ele acha charmosíssimo, você pode ser até mais gostosa que ela, mas é com ela que ele se completa.
  Não adianta receitas, questionamentos, guerras... é tudo inútil, é tudo vazio. É para a esquina que se deve ir, a esquina da espera, a espera que esse amor passe, morra, dissolva, por enquanto chorar pode ser um bom remédio, chorar de ciúme, de vergonha, de amor, mas chorar até esse amor decidir parar de pulsar.

Quis evitar teus olhos
Mas não pude reagir
Fico à vontade então
Acho que é bobagem
A mania de fingir
Negando a intenção
Quando um certo alguém
Cruzou o teu caminho
E mudou a direção
Chego a ficar
Sem jeito
Mas não deixo
De seguir
A tua aparição
Um certo alguém (Lulu Santos)

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Lucas e Laura


Madrid, 16 de dezembro de 2010.

Querido Lucas,

 Daria tudo pra ver seu rosto de surpresa nesse momento... mas mais que o rosto daria tudo pra sentir a sensação que você está sentindo agora com minha carta em mãos. Quanto tempo se passou, neste reveillon completará 3 anos de distanciamento, um distanciamento inevitavelmente necessário e que hoje talvez com minha mente mais amadurecida posso te explicar melhor os porquês e as interrogações que porventura deixei em ti desde minha partida.
 Ontem viajei para o distrito de Arganzuela e ao entrar na estação lembrei-me de ti, foi lá que nos conhecemos você fazendo curso de fotografia e eu visitando meus avós maternos, éramos tão livres... hoje me pergunto porque nos deixamos aprisionar tanto... Tenho tentado não mais me questionar sobre o que passou, éramos jovens e nos amávamos demais, hoje sei que amor demais também fere.
 Sei o quanto me procuraste, sei das inúmeras vezes que contataste meus avós aqui em Madrid, mas meu coração estava em pedaços e nesse tempo me dei ao luxo de pensar apenas em mim, deixei que o tempo se encarregasse de matar o pouco de mim em ti, querido se te ouvisse pelo menos uma vez não teria forças pra me curar de nós, ás vezes um ato de desistência é um ato de coragem, pode ser que não entendas mas fiz isso por te amar demais e por querer demais te ver feliz e há muito tempo nós já não nos fazíamos felizes.
 Durante os anos que vivemos juntos foi tudo tão intenso... hoje não sofro mais ao lembrar de ti, você me causa risos e ás vezes espanto, lembro-me de quando voltamos ao Brasil com a mala cheia de sonhos e nenhum dinheiro no bolso, foi sempre assim ‘você sonha nós realizamos!’ lembra?
 Pode ser que tudo que eu esteja te escrevendo já não faça diferença hoje, mas precisava fazer isso... precisava te dizer que sofri sem você, que você me levou partes que talvez nunca encontre novamente, que te amei da forma mais bonita e mais intensa que já amei alguém...



Da sua (espero um dia) amiga Laura


 A veces recuerdo tu cállido abrazo y la forma de desarmar a mí con una sonriza llena...


São Paulo, 03 de março de 2011.

Prezada Laura,

 Realmente muito me surpreendeu sua carta, já não pensava que um dia ouviria de você novamente e há muito tempo deixei de esperar alguma explicação, há muito tempo...  talvez se essa carta tivesse chegado a 2 anos atrás eu abriria um leque de todas as minhas dores pra você mas hoje isso me parece tão desnecessário, essas dores já não me são tão latentes, mas os questionamentos sobre sua partida sem explicação vez por outra me norteiam.
 Durante um ano te procurei incessantemente... tranquei a faculdade e já não trabalhava com o mesmo empenho, minha meta era encontrar você... escrevi todas as semanas e liguei todos os dias pra seus pais, amigos enfim pra qualquer pessoa que pudesse me dizer onde encontrar você, tudo em vão. A razão sabia que era o fim o coração não.
 Lutei contra todos e contra mim, porque embora sabendo o quanto éramos perigosos um para o outro sempre confiei no amor que sentíamos... embora nossas diferenças por vezes gritassem, sempre esquecia todas elas quando nos amávamos. E quando você foi embora percebi que toda essa certeza era unilateral... era uma guerra solitária, pois você já tinha abandonado o posto.
 Pode ficar tranqüila te amei tanto que nunca consegui sentir raiva ou ódio de você, apenas tristeza... tristeza pelos seus abraços que eu não teria mais, tristeza pela sua voz que eu não ouviria mais, tristeza por nós e por tudo que sonhávamos que não existia mais...
 Hoje só desejo que esteja bem... que seja feliz, não sei de você, como você disse que foi embora para se curar de nós eu demorei mas também me curei. Hoje só sinto saudade do que não fomos, dos tantos sonhos que não concretizamos não mais de você.



                                                                      De seu (por vontade própria) distante amigo, Lucas


Es una mentira te echo de menos todos los días, pero estamos demasiado lejos y la vida no nos quiere más.

Não aprendi a dizer adeus
Mas tenho que aceitar
Que amores vêm e vão
São aves de verão
Se tens que me deixar
Que seja então feliz
Não aprendi a dizer adeus
Mas deixo você ir
Sem lágrimas no olhar
Seu adeus me machuca
E o inverno vai passar
E apaga a cicatriz.
Não aprendi a dizer adeus(Leandro e Leonardo)

                                                          




quinta-feira, 21 de abril de 2011

Última Vez



Já havia acendido o terceiro cigarro quando desistiu não queria ficar com àquele cheiro impregnado quando ele chegasse, ele sabia bem que só fumava quando estava depressiva e com crises de solidão irremediáveis, ele sabia tão bem... Tentou colocar uma roupa mais frouxa não queria que ele percebesse que havia emagrecido tanto depois de sua partida, não queria que ele a visse infeliz, queria prová-lo a todo custo que sua falta não a afetou...no dia do encontro pintou e cortou o cabelo como há meses não fazia, desenterrou todas as maquiagens do fundo da gaveta e saiu pra comprar roupas novas... Ainda não havia rasgado as cartas e a fotografia do primeiro encontro  ainda estava no porta retrato ao lado da cama, mas disso ele não precisava saber, aliás ele nunca iria saber...
Sentada à espera daquele encontro, o último como já haviam prometido, lembrou-se do início de tudo, de como leu sua história nos seus olhos na primeira vez que o viu, de como voltou para o hotel extasiada, a partir dali tudo foi de uma intensidade nunca antes desvendada, ela era inteira paixão... Aonde foi parar tudo àquilo? E toda aquela sensação de ter completado seu ciclo na terra por ter encontrado tudo que sempre sonhou? Olhava fixamente as pessoas que passavam e se via um pouco em cada uma delas: no casal de adolescentes discutindo que filme iam ver, no outro casal desfrutando o sonho da maternidade e por fim na senhora sozinha a sua frente com jóias desfocadas e envelhecidas, com um olhar de quem se perdeu e nunca mais se encontrou...
Não podia tirar do foco cada palavra que precisava dizer, iria dizer que estava bem que tudo não havia passado de fantasias e que hoje conseguia enxergar tudo melhor, não era pra ser e por isso teve que se render a ordem do destino, hoje ele tinha uma vida... hoje ele tinha construído pra si tudo que sua dor não a deixou construir, hoje ele já estava longe, longe demais pra se sonhar com ele outra vez...
Quando o viu ele estava diferente, seu olhar carregava um cansaço... um cansaço particular de quem sonhou demais, ainda estava bonito como da última vez mas seu sorriso não era o mesmo...talvez porque o sorriso de antes era o sorriso de uma esperança que já não o habitava. E quando se aproximou àquele olhar de antes veio com ele, o mesmo que sem precisar mover o lábio sorria, o mesmo que trazia uma paz tão esquecida... e todas as coisas a se dizer se foram...se foram pra um dia quem sabe voltarem em uma outra estação onde todos esses sonhos a acordem numa noite qualquer.

Não fala nada, deixa tudo assim por mim
Eu não me importo se nós não somos bem assim
É tudo real nas minhas mentiras,
E assim não faz mal
e assim não, me faz mal não
Só pro meu prazer (Leoni)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Nunca amor igual


"[...]Da última vez que a vi logo quando decidiu te esquecer estava tão imensamente desolada...naquele dia a desconheci...era sempre tão sorridente e meiga, mas naquela tarde tudo ao seu redor estava escuro, seus olhos estavam pesados e embora não tivesse dito nada seus gestos me pediam socorro nessa noite fui dormir com um peso que nunca tive...o peso da dor de uma menina que tinha desistido de sonhar.Não sei o que fizeste, mas sei o que nunca mais encontrarás: amor igual ao dela. Antes de você ela era superficial, unilateral, decidida você veio e ela passou a morar no seu barco, por um amor que nem mesmo ela entendia te dedicou o melhor de seus dias e por você foi feliz, mergulhou na intensidade de se dar a alguém com tudo o que pode e hoje sei o que àquelas lágrimas naquele fim de tarde quis dizer: "Do que adiantou tanta entrega? Se hoje me perdi no meu desejo de amar mais do que o amor é capaz".Hoje minha intenção com essas descrições é dizer-te que talvez por um capricho de alguém imaturo uma estória foi tristemente interrompida, quero pensar que essa dor que não a deixa viver um dia irá embora...mas talvez meu caro, as sequelas se fixem o bastante pra nunca mais permitir que àquela menina destemida e sonhadora volte novamente..."

Eu não sou uma princesa,
Isso não é um conto de fadas,
Eu não sou aquela que você quer agradar
E que você conduz pela escadaria
Aqui não é Hollywood
Aqui é uma cidade pequena
Eu era uma sonhadora,
Antes de você chegar e me pôr pra baixo
Agora já é tarde pra você
E seu cavalo branco chegarem
White Horse (Taylor Swift)

terça-feira, 22 de março de 2011

Por entre Esquinas...


Não quero te fazer presente só porque to doente ou só porque estou triste, não quero te fazer ficar por amizade ou porque deduz que preciso de sua presença, quero te fazer ficar por vontade própria...por desejo de me ouvir falar besteiras ou até segredos de morte, não quero um pouco de sua atenção, não quero uma mensagem tipo “como estas?nunca mais nos falamos!”não quero pena, dá pra entender? Me sinto melhor sozinha...tudo que sinto por você me faz sofrer mais com os restos que com tua ausência...porque tua ausência é sincera, você não está aqui porque não quer, mesmo que doa é sincera, mas teus relapsos de ligações, mensagens são forçados e isso machuca...posso viver só, já me acostumei com a solidão, não me faça perceber e aceitar esses arrombos de saudades tão meramente falsificados...
Você vai me abandonar e isso é certo então não me olhes com esse olhar de que tudo vai ficar bem, porque não vai, e não fique doando esmolas da sua atenção até eu não sentir mais sua falta, acabe com isso de uma vez...me diga ao menos uma vez que acabou e prometo não te procurar mais, deixe que reste apenas coisas boas, embora com lágrimas nos olhos quero me lembrar de você sentindo no fundo que por alguns momentos tudo valeu muito a pena.
Todos os dias te vejo indo embora de esquina em esquina...e quando me acostumo ou penso- que- me- acostumo, você volta e diz que está aqui, é muito para uma mente demasiadamente confusa, mas em todas as minhas confusões o fato de não querer ser uma alternativa na sua vida é uma certeza...se for pra estar com você que seja verdade, claridade, transparente, real...se for pra ser de você que você ao menos seja meu também.

E eu quero acreditar em você
Quando você diz que tudo ficará bem
Sim, eu tento acreditar em você
Mas eu não consigo

Quando você diz que será
Sempre acaba acontecendo de uma maneira diferente
Eu tento acreditar em você
Não hoje, hoje, hoje, hoje, hoje
Tomorrow (Avril Lavigne)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Manchas e Marcas


Os olhos ainda estavam manchados com aquela maquiagem forte de sempre embora tenha tentado com todos os esforços limpá-los de nada adiantou, como conseguiria se mesmo ao limpar as lágrimas insistiam em descer mas mesmo assim foi ao encontro e pensou lá no fundo que era bom que ele assim a visse já tinha se escondido muito não queria fazer isso mais, não hoje... Quando chegou ele já estava lá encostado na janela a mesma do último encontro, o olhou sem que ele notasse e ensaiou um último olhar apaixonado,passeou pelos seus braços levemente encostados na janela foi até seu rosto e por alguns instantes se deixou perder naqueles olhos concentrados  ele logo notou sua presença e a recebeu com o sorriso de sempre mas ela resistiu e não retribuiu, naquele dia ela não estava ali pra sorrir, ele ao perceber se aproximou com um olhar preocupado perguntou o que houve ela respirou fundo tentou se lembrar de como iniciava a conversa nos diversos ensaios que fizera mas percebeu que o momento falaria por si e começou: te amo, te amo como nem sei dizer e como nunca pensei que meu peito suportaria, não se assuste por favor só preciso que saiba que mesmo te amando assim e talvez por te amar assim preciso ir embora, preciso me reconstruir...hoje tem me doído o fato de nunca perceberes o quanto te anelo...o quanto te cuido mesmo de longe e em silêncio...meu amor por muito tempo te pediu tão pouco apenas uma ligação...apenas tua voz pra meu coração dormir com a certeza que sempre me moveu a certeza de que estás bem, mas tive que me contentar em procurar saber de ti por quem te rodeia pois você nunca se deu o trabalho de perceber, na verdade você nunca poderia adivinhar as noites que chorei por não saber ao menos como foi teu dia, por não poder ao menos te olhar de longe  e matar a saudade do teu andar distraído...não posso nesse pouco tempo que nos resta te dizer tudo que pretendo mas queria que você soubesse o quanto me ardeu as inúmeras vezes que pra me retribuir de algo me fazia promessas que nunca seriam cumpridas e doeu mais perceber que você sabia que não podia cumprir-las mas como um costume ou uma forma de me prender me prometias e eu em nenhuma vez deixei de esperar...em nenhuma vez que me prometeste ligar eu deixei de acordar de madrugada pra ver se havia alguma chamada...em nenhuma vez que marcaste pra me ver deixei de me arrumar e te esperar...e tudo isso com a plena certeza que era costume, nunca entendi ao certo o porquê que te esperava,talvez não sei, porque queria sempre arranjar um motivo pra que meu amor não morresse, queria sempre livrá-lo das facadas que com frequência atiravas nele, estava sempre mesmo que imperceptivelmente salvando o meu amor das suas maneiras de assassiná-lo...Hoje vim aqui com a cara e a coragem e embora de olhos manchados e inchados vim pra te dizer que deixei de proteger meu amor...deixei ele sentir cada mágoa, cada dor,deixei ele perceber o que você na verdade sempre fez tentar matá-lo e mesmo que o pouco dele que ainda me resta seja o suficiente pra te amar pra vida inteira vou tentar cultivar minha dor até dele não mais restar nada...só queria te dizer que o que senti por você foi o sentimento mais puro que nutri por alguém...um sentimento completamente livre de cobranças, livre de possessões mas hoje ele pede passagem, meu coração e minha mente em comum acordo decidiu assassiná-lo e viver a partir de hoje sem nenhum vestígio pois hoje percebi que já não suporto...hoje acordei e vi que preciso...imediatamente preciso me fazer feliz....

Aqui
Agora que você parece não ligar
Que já não pensa e já não quer pensar
Dizendo que não sente nada
Estou lembrando menos de você
Falta pouco pra me convencer
Que sou a pessoa errada
Aqui (Ana Carolina)

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Alô...





Liguei só pra saber se estás bem...não,eu não fui ao médico já estou melhor você não perde essa mania de querer me ver de hospital em hospital meus problemas são na alma, ah eu sei que existe psicólogo mas de nada serviria passaria o tempo todo olhando pra ele ce sabe que não falo com estranhos...mas não é pra isso que liguei, queria mesmo saber como estas, ah assisti o filme que me indicaste muito triste o final mas é eu sei nem sempre tudo tem que necessariamente ter um final feliz mas pelo menos nos filmes que na maioria das vezes são inventados sim...não eu sei que nosso caso foi parecido com esse filme mas não acabou...sei que tudo parece irreversível mas você sabe né? O mundo dá voltas lá vai eu com clichês de novo, mas é a mais pura verdade...pára de dizer que sou áspera, eu não mudei sou a mesma que disse um eu te amo depois de te ler um poema um tanto erótico que aliás eu mesma fiz...sou a mesma mas só to cansada...nada me serviu demonstrar tanto por isso me dou o direito de permanecer calada, imune a tudo que sinto por você...eu também não te esqueci, mas já estou na luta não sei se deveria está te dizendo isso mas to lutando contra nós,sei que lembrarei de você por um longo tempo mas queria te deixar ciente que essas ligações serão cada vez mais raras,porque eu te ligo?não sei talvez porque quando falo com você esqueço que não somos possíveis eu explico melhor é como se você fosse do meu mundo e eu do seu simples assim,ta vendo você que gosta de complicar tudo ta bom eu também mas pra mim sempre foi mais simples era só você me chamar que eu estava aí, era só você dá um sinal que deixaria tudo pra trás mas como você sempre disse minha situação é mais cômoda não é mesmo?tá certo vou parar de ser irônica só por hoje, só por hoje porque to com uma saudade boba dessa sua risada descompromissada, risada essa que me fazia desistir na hora de uma DR, talvez esse foi meu maior erro um entre tantos aliás não falar deixar passar fingir que não era comigo que eu não ligava pra todo teu esquecimento involuntário, pra todas as tuas promessas não cumpridas mas deixa pra lá já passou, agora já vou que quanto mais prolongo mas desejo te ouvir e preciso me curar, já abri o período de abstinência de nós, é sim seu bobo você é meu vício e antes que me faça mal eu vou embora beijos e... te cuida.



Um dia nós saberemos
Se o Amor move montanhas
Um dia nós saberemos
Porque o céu é azul
Um dia nós saberemos
Porque eu não fui especial para você

Um dia nós saberemos
Se Sansão amava Dalila
Um dia eu irei
Dançar sobre a Lua
Um dia você saberá
Que eu era única para você
Someday We'll Know (Mandy Moore)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Transfusão



“Hoje só quero encostar a cabeça nos teus ombros doloridos e descansar minha alma cansada,me leva ao mar e então perguntarei com lágrimas a ele o porque de tanto medo, não quero dizer nada não há nada a ser dito só sentido, quero sentir o vento me enxugar os olhos, quero sentir as ondas me limpar a alma, quero sentir tuas mãos nas minhas comunicando entre elas que tudo está bem, que tudo um dia ficará bem...de olhos pesados de tantas dores quero ver minhas feridas abertas e entender que elas talvez nunca sararão, porque tudo ta mais latente, tudo em passado, presente já me leva a seguir por entre pedras que me ferem os pés...quero sangrar, sangrar até precisar de transfusão, transfusão de amor, transfusão de olhares compreensivos e compassivos, transfusão de sentimentos que me convençam que ainda há o que esperar dessa vida tão imensamente carrasca e descabida que me leva a me perder todos os dias...”





De tarde quero descansar,
Chegar ate a praia e ver
Se o vento ainda está forte
Vai ser bom subir nas pedras
Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando tudo embora
Vento no Litoral (Legião Urbana)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Janela de Distrações



Estava distraidamente distraída olhando a paisagem sob o vidro embaçado do teu carro e de um modo inesperado ouço dizeres que chegaste pra ficar...como se isso fosse possível, mesmo que me dissesses que não iríamos mais nos ver você ainda assim ficaria...ficarias em tudo, porque você me acompanha aonde eu for, pode ser clichê e na verdade é mas não tenho como definir a tua sombra que está comigo sempre e é simples entender quando já se está acostumada com ela...em tudo que faço ouço tua opinião em meus ouvidos, vejo nitidamente tua cara de raiva quando não me cuido e teu sorriso sarcástico quando minto, invento coisas de nós...converso com nossas lembranças quando preciso resolver urgências e choro pensando que talvez estejas doente, ou com medo e eu não sei...
Pra mim tuas mentiras sinceras doem mas acalentam, porque não depende da tua presença física minha tão desconsertada doação, depende das minhas lembranças, da tua influência mesmo que obscura em tudo que penso ou faço....


Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas trilhas caminham pra gente se achar, viu?
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade
Tudo Diferente (Maria Gadú)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Jeitos



Amo teu afago...
Amo teu peito nu...
Amo teus jeitos,
O jeito como acordas...
O jeito como sorris...
O jeito como num relance de olhar me desnudas inteira...

Está no jeito de você me querer
Está no jeito de você me abraçar
O jeito de me mostrar exatamente do que o amor é capaz
Está no jeito como fazemos amor
Oh, como eu te adoro
Como a ninguém antes de você
Eu te amo exatamente do jeito que você é
You've got a way (Shania Twain)

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Silenciosamente...


Eu amadureci quando descobri que ás vezes temos que deixar as pessoas irem embora antes que a vida nos tire a força, que o amor verdadeiro é aquele que permite que a pessoa que amo seja livre mesmo que essa liberdade seja longe de meus braços...
Eu amadureci quando enxerguei que o amor precisa ser reconhecido,apreciado e não escondido...que me contentar com um amor assim é cruel...é desumano...
Eu amadureci quando descobri que a mesma chuva que destrói meus sonhos é a que faz nascer relva na terra seca...que desejar o bem é muito mais proveitoso pra quem deseja...que se a vida é enlouquecer de amor, quero ser lúcida pra reconhecer o que sinto, pra viver o que sinto sem sufocar ninguém...apenas me permitir perceber o momento em que não sou mais querida...e ir embora seguir minha vida.
Eu amadureci quando entendi que posso deixar alguém ir e ficar com ela pra mim...ficar com suas lembranças...com seus risos...com seus trejeitos...com suas danças...e ainda assim deixá-la livre como uma borboleta ao sair do casulo.
Eu amadureci quando descobri que ninguém se prende a ninguém por amor...o amor é livre...o amor nos deixa livre...o amor é um pássaro em meio a imensidão...o que sufoca não é amor é ilusão, interesse...tudo menos o amor, aprendi que o amor não tem definição, não tem regras pois ele é a própria regra, a regra do sim e do não, que quando se ama, se ama por inteiro, por completo que amor pela metade não é amor é medo, medo de mergulhar, medo de viver, medo de experimentar...
Eu amadureci quando percebi que os sonhos mais bonitos são os sonhados a dois...que se sonho com alguém só não vale a pena, sonho concreto é sonho dividido, misturado, compartilhado pra enfim ser vivido... e é tão bonito quando isso acontece, é a coisa mais linda que a vida nos permite sentir, presenciar um sonho tão almejado, suado, sangrado se tornar real...
Eu amadureci quando vi que minhas dores de amor são suportáveis a medida em que esqueço de me concentrar nelas...que elas são inevitáveis assim como a dúvida de se um dia elas passarão...mas que posso ainda sangrando me permitir olhar o horizonte, reconhecer um novo amor...viver um novo amor e apagar tudo que passou...pelo menos tirar toda a tristeza do centro das atenções...
Eu amadureci quando reconheci meus traumas como parte de quem sou hoje e não apenas como desventuras de um destino infeliz... que todo preparo e desapego que carrego veio desses desencontros tão irremediavelmente desastrosos... e que toda a lágrima e revolta serviu para eu reconhecer quando a felicidade bater a porta...aprendi que não posso me fechar pra todos só porque alguém me feriu...posso mudar de atitude mas nunca, nunca de essência.
Eu amadureci quando entendi que não se pode crescer sem sofrer, sem sangrar, sem parir...que hoje o que preciso de imediato é te deixar partir, ser feliz, aceitar que sua escolha já foi feita... e que dela inevitavelmente não faço parte.


Lembro daquele beijo que você me deu
E que até hoje está gravado em mim
E quando a noite vem
Fico louca pra dormir
Só pra ter você nos meus sonhos
Me falando coisas de amor
Sinto que me perco no tempo
Debaixo do meu cobertor
Eu faria tudo pra não te perder
Assim
Mas o dia vem e deixo você ir
Deixo (Ivete Sangalo)



quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Pra Sempre


Eu sinto que é pra sempre...hoje tenho sentido isso e é novo, nunca senti isso antes mas hoje me veio a certeza de que se não nos encontrarmos por dez anos no dia em que te ver (eu casada, com filhos não importa...) você vai mexer comigo da mesma forma, ainda vou sentir tremer tudo em mim, ainda vou continuar fingindo que sua presença não me afeta, ainda vou querer saber de sua vida...
Como se sabe que algo é tão intenso...ah não tenho resposta,basta viver...basta sentir que agente sabe... Essa certeza não me assusta...é como se eu pudesse ter você pra mim pra sempre, sem cobranças, sem medos, sem rotinas...É como se depois de anos e anos sem saber nada um do outro o encanto permanecesse o mesmo, intacto como na primeira vez...
E como entender se um olhar ainda vai nos paralisar, é simples me apaixonei por sua essência e essência nunca muda...atitudes mudam, pensamentos mudam, empregos mudam, amores mudam mas essência nunca e a sua essência foi a mais leve que conheci...a mais descompromissada, a mais encantadora...
Por todos os amores que vivi...hoje tudo parece ser reticências, hoje tudo está claro que não vai terminar no momento em que não mais nos falarmos...um dia quando escutar a aquela música vou lembrar de você...um dia quando me perguntarem se já enlouqueci por alguém vou lembrar das nossas histórias...um dia quando me perguntarem se vale a pena esperar vou dizer que nunca cansei de esperar por você, mesmo com outras vidas, mesmo com outras histórias, nunca cansei de esperar por nós...pelo dia em que o destino nos dará a chance de sermos tudo que queremos ser...


Ás vezes me pergunto se
Eu viverei sem ter você
Se saberei te esquecer
Passa um momento e eu já sei
Você é o que eu quero ter
Inesquecível para amar
Mais que uma história pra viver
O tempo parece dizer
Não, não me deixe mais
Nunca me deixe
Quanto mais longe possa estar
É tudo o que eu quero pensar
Não, não me deixe mais
Porque eu te quero aqui
Inesquecível em mim
Inesquecível (Laura Pausini)

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Demasiadamente Amor


Eu te amo tanto...amo tanto teus jeitos, teus risos, tuas histórias...eu te amo tanto...mais tanto que me dói as vezes, dói porque é tanto amor que me incha...é tanto amor que me transborda, é tanto amor que é impossível vivê-lo sozinho...
Dói saber que tanto amor não poderá nunca ser vivido...machuca não poder ao menos te dizer isso, ou te cantar isso, ou pelo menos te explicar o porquê dos meus risos bobos, o porque de minhas preocupações tão frequentes, o porque que não te esqueço...
É tanto amor, tanto amor que não dá pra ser feliz sem dividi-lo, é tanto amor que dá uma pena de jogá-lo no canto e fingir que ele não existe quando minha vontade é gritá-lo aos quatro ventos e vivê-lo...intensamente vivê-lo...é tanto amor que desaprendi a explicá-lo só sei senti-lo, senti-lo pulsar em cada milímetro do meu corpo cansado...senti-lo gritar em sua presença sem você ter o mínimo tempo pra ouvi-lo...
Que esse amor me consome é fato...ás vezes ele dorme, então eu saio arrisco outras pessoas mas aí ele acorda e é incrível como ele não precisa de sua presença ou voz pra despertar ele vêm sozinho como se quisesse lembrar: estou aqui ainda mais vivo que nunca...
Amor tão  grande que não sei mais onde guardá-lo, pra mim deveriam disponibilizar mais uns dois órgãos além do coração...é muito para um coração tão demasiado pequenino...é muito pra alguém tão intensamente jovem...
É tanto amor que falta fome, falta sede, falta sono...em nada se vê graça...nada há mais encanto...um meteoro em formato de coração pode cair no meu quintal que pra mim nada fará diferença...é tanto amor que me cega pra o mundo lá fora...pra o mundo longe da prisão dos teus olhos...
É amor demais...é frio demais...é calor demais...e é triste porque um dia inevitavelmente ele vai cansar...cansar de se dar sozinho...cansar de chorar sozinho...cansar de sofrer sozinho...e esses sonhos tão bonitos, tão puros vão cessar...e ver um sentimento tão único...tão sublime e tão cheio de uma perfeição ímpar ir embora dá dó...dá dor...dá uma vontade louca de sair te olhar nos olhos me declarar pra quando ele morrer te dizer: eu te avisei!



Te amo tanto cada vez mais vou te amar,
é impossível outra pessoa em teu lugar
Você é sonho é realidade é quem veio pra ficar,
Eu não posso te perder,
Hoje eu sei que minha vida é só você.
Nada apaga essa paixão (Maurício Mattar)


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Amantes


É só me beijar...cala a boca e me beija...é só me amar...pára de me olhar com esse olhar que transborda desejo...é só me amar...é só tirar minha roupa com a boca é só mentir que me ama...é só cantar com tua voz rouca em meus ouvidos...não precisa promessas, planos, declarações melosas tipo: sempre sonhei em te encontrar...apenas faça amor comigo...das maneiras mais nossas...com suor, com gemidos, sem fórmulas,sem regras,sem histórias de passados distantes...é só cumprir a única promessa que me importa a de um dia sermos únicos um para o outro...com quem você vai passar o resto da vida não me importa, hoje quero você pra mim, hoje você é minha eternidade...hoje você é meu pra sempre...hoje nesse quarto escuro só existe você no meu mundo e eu no seu...não me conte suas histórias, hoje nossas vidas começam e terminam...não pense em meu sofrimento apenas me sinta, apenas encoste tua cabeça em meus seios...apenas deslize tuas mãos em minhas costas...apenas morda meus lábios e sorrindo o assopre...Nascemos amantes...morreremos amantes...nascemos sonhadores...morreremos sonhadores...nascemos fadados a uma noite...morreremos sentindo essa noite.



Corro de te esperar
De nunca te esquecer
As estrelas me encontram
Antes de anoitecer
[...]
Eu vou contar pra todo mundo
Eu vou pichar sua rua
Vou bater na sua porta de noite
Completamente nua
Quem sabe então assim
Você repara em mim
Nua (Ana Carolina)

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Adeus


Estou saindo pra nunca mais voltar...estou nesse exato momento fechando a porta de nossas lembranças e de minha inútil saudade não que pra você isso faça alguma diferença mas estou decidida a dizer que estou me libertando de você e dos meus inúmeros vícios: te amar demais, te proteger demais...
Já não penso nas crises de abstinência que porventura irei ter...já não penso nos domingos que ficarei a chorar vendo que já não irás me ligar...já não penso...não quero medir meu sofrimento antes que ele chegue, por enquanto ainda estou a te olhar quando trancar tudo irei refletir melhor...
De imediato minha saudade será do que sou quando estou com você...dos meus risos que são mais bonitos e de como tu me fazes esquecer das minhas desventuras irremediáveis...de imediato vou sentir falta de como me sorrias com os olhos e de como me decifravas sem ao menos esboçar uma palavra...
Na verdade teu amor me doeu tanto, ardeu tanto que me fez planejar como seria minha vida sem você...que me fez vislumbrar dias sem você, noites sem você, manhãs sem você... hoje não posso dizer se um dia conseguirei viver sem tua influência mas posso ter a certeza que será o melhor pra mim me permitir ser feliz...me permitir ser amada, ver minhas qualidades e me amar, me adorar, me cuidar...
Pra mim já não importa se sofrerás, se irás me procurar ou se me apagarás...pra mim já não importa se irás rasgar minhas cartas ou cultivá-las....porque pra mim hoje é o fim...fim dos encontros, fim dos planos, fim da entrega e um dia se Deus quiser fim do amor.

E não adianta nem me procurar
Em outros timbres, outros risos
Eu estava aqui o tempo todo
Só você não viu

Só por hoje não quero mais te ver, só por hoje não vou tomar minha dose de você
Cansei de chorar feridas que não se fecham, não se curam
E essa abstinência uma hora vai passar
Na sua estante (Pitty)

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Culpa


Mais que tudo desejaria ser a fria, a que ama menos, a que não se importa com nada, a que esquece as datas. Queria ser a dona dos sonhos, a independente, a eterna descontente... adoraria ser a que não liga, a que não procura, a que não escreve as cartas, a que não dá presentes. Mas entre nós fui eu a que mais errou...não, eu nunca esqueci nossas datas estão todas em mim...não, eu nunca deixei de te ligar depois de uma briga nem de te procurar quando dizias que não me querias...meu erro foi te amar demais, foi te escolher pra ser o primeiro e o último a ver todos os dias sem saber que essa escolha não era recíproca...meu erro foi querer te cuidar e assim esquecendo de cuidar de mim...foi querer te proteger me deixando descoberta...foi querer te fazer feliz sem ligar se iria fazer o mesmo...meu erro foi me contentar com tuas migalhas, com teus jeitos, com tuas formas tão milimetricamente desenhadas e inalteráveis. Fui eu que tropecei...fui eu a que mais foi responsável pelo fim...eu não entendi que não se pode exigir amor de quem não têm...eu não entendi que você não precisava de abrigo essa vida nômade era teu prazer...eu não entendi...eu não entendia...eu não entendo. Eu que protegi...cuidei...amei...reguei...eu que me fiz de cega quando ignoravas tudo que eu fazia e depois como um consolo apenas me sorria...eu que fingia não me importar quando não me ligavas, ou quando não perguntavas se eu estava bem depois de uma noite febril...Não foi você querido...você não viveu nosso amor eu vivi ele sozinho...eu que plantei, esperei crescer e fiz minha parte, eu o reguei todos os dias...mas agora vejo que junto dessa planta havia uma erva daninha: o seu orgulho e contra ele eu nada pude fazer, não adiantou minha penosa entrega é isso que hoje preciso aprender: A CULPA FOI MINHA...

Você que me roubou a vida, todos os sonhos
E me deixou somente o frio da sensação de já não ter mais esperança
Você não imagina o quanto eu perdi
Não sabe que será impossível esquecer
E que a saudade só pensa em você

Você não sabe a verdade de quem ama
Você não sabe como foi que me deixou
Você foi fria e congelou a minha alma
Você deixou em mim o vazio e a dor
Você Roubou a minha Vida (Alexandre Pires)